Biblioteca Belmonte – uma memória das experimentações

biblioteca belmonte - encadernação e outras histórias - oficina de memórias

encadernação e outras histórias

biblioteca belmonte. entre muitas mãos as vozes ecoam. falamos da vida e das invencionices. criamos costuras, livros, diários. sonhamos com futuros e memórias antigas. entre muitas mãos e vozes a vida vai se fazendo e criando e desmanchando e esquecendo. entre mãos e vozes a vida brinca de viver.

biblioteca belmonte - encadernação e outras histórias - oficina de memórias

essas imagens se formam ao relembrar a nossa primeira oficina de memórias e encadernação. percebo o tanto que a vida concreta de criar, cuidar e trabalhar, conversa com a vida etérea de sonhar, relembrar e inventar. somos feitos de nossos fazeres. somos feitos de nossos quereres. somos feitos pelos afetos que o mundo nos traz – alguns duros e doloridos, outros alegres e prazerosos. a vida é fruto dessa infinidade toda.

 

na biblioteca belmonte – experiências com as mãos

biblioteca belmonte - encadernação e outras histórias - oficina de memórias

volto as imagens do dia e lembro de nossos corpos em ansiedade. um receio da recepção da oficina. será que irão participar? será que irão querer? as pessoas vem falar com a gente pra fazer livros e não para criar histórias. e no fluxo da recepção na calorosa biblioteca belmonte, já parceira de outra vez, da novamente recepção de Dorinha em sua sala de culturas populares até a primeira fala dizendo: “Oi, somos o mínimo diário.” tudo foi dúvidas e incertezas.

biblioteca belmonte - encadernação e outras histórias - oficina de memóriasbiblioteca belmonte - encadernação e outras histórias - oficina de memórias

viver a experiência exige que aceitemos a incerteza. que entremos no turbilhão que é. e entramos, e fomos lindamente conduzidos pelas pessoas presente. falamos, compartilhamos, costuramos um dia. tecemos a criação através de experimentos. nos permitimos. e nisso algo se fez, se manteve e se desmanchou: como a vida!

cada um criou seu livro de memórias, com sua escritas – em texto, em imagem, em costura – e seus afetos. vivemos a memória daquele instante, toda coletiva toda sujeitos. e em acompanhada partilha a vida se fez.

que venham mais memórias pontuais!

Álbum de recordações

 

por Carlos Bressan


Patrocínio

Esta ação faz parte do projeto Memórias Pontuais. Projeto com apoio da Secretaria Municipal de Cultura através do Programa de Valorização de Iniciativas Culturais – VAI 2016.

One Reply to “Biblioteca Belmonte – uma memória das experimentações”

  1. Que iniciativa bacana, Carlos! Gostaria de participar, como faço? Conduzo Ateliês de memórias e também trabalhamos encadernações artesanais, porém individualmente. Enfim, quero conhecer seu projeto e trocar ideias. vamos?

Deixe uma resposta