Sobre

!mínimo diário:

 

Costurando contos narrados

mínimo diário é um coletivo outras artes-histórias. Nasceu em 2014, por Ana, Paulo e Vinicius, na cidade de São Paulo.

Nossa andança se dá na confecção de livros artesanais, processos educativos e experimentações artísticas. Produzimos histórias autorais escritas, desenhadas, contadas e encadernadas. Compartilhamos em oficinas fazeres e olhares tanto dos livros como objeto de experimentação, como da criação enquanto produção e expressão de nossas.

memórias pontuais minimo diário na casa tombada
Em nosso caminho publicamos o nosso primeiro impresso Costurando Contos Narrados, em 2015, livro artesanal de contos fantásticos, distribuído para bibliotecas de São Paulo com o apoio do Programa VAI. E conjuntamente publicamos duas zines: Meu Chão, que retrata moradores de periferias da zona sul; e a Dos Amores, com olhar para os afetos diversos.

Hoje, estamos com os olhos e mãos junto ao movimento latino-americano cartonera. Na confecção desses livros trabalhamos e somos trabalhados na matéria e no improvável. Lançamos então nosso selo editorial de nome Flora Cartonera. Já com sua primeiras publicações: o livro Céus Olhos e a zine Encarnação.

Somos feitos pelas artes que fazemos.

 


— projetos

  • concluído ou na memória:

    • Costurando Contos Narrados – 2015
    • Memórias Pontuais – 2016
    • SerRio – 2017
  • de estação em estação:

    • Translação – 1a edição 2016 / 2a edição 2018
  • na lida diária ou em andamento:

    • Chão – 2016-
    • Flora Cartonera – 2017-
    • InventeUmMeio – 2018

— Modos de existir ou TAGS:

#InventeUmMeio
#AceiteOsErros
#OutrasVozes
#QualÉOTeuVerso


2014-2018 – !mínimo diário: outras artes e histórias – ser.rio