Vendas na Paulista: 2016 e os livros

Avenida Paulista, São Paulo. Ana está sentada, livros expostos no chão.

2016 veio com tudo! Costurando contos narrados finalizado,  janeiro já voou e até o dia de Iemanjá! Repare bem já é Carnaval =D A gente tem muito papo a dividir e compartilhar: vendas na Paulista, lançamento do Costurando Contos Narrados, publicação da zine Meu Chão, a primeiras experiências com “Outras histórias”, agenda Translação, oficina de encadernação para crianças… Hehe. Muitas histórias. Por onde começar?

Vendas na paulista

Agora melhor é contar uma por vez então que tal começarmos pelas vendas na Paulista? Foi a nossa primeira experiência de vender os nossos livros na rua, disse tivemos, mas na realidade apenas um de nós teve, ou melhor uma! A Ana decidiu ir se aventurar pela Paulista Aberta e escreveu um texto sobre o dia. Segue a íntegra:

Hora de colocar o pé na rua!

Vendas na Paulista: Avenida Paulista, São Paulo. Ana está sentada, livros expostos no chão.
Ana na Avenida Paulista, vendendo os nossos livros.

Avenida Paulista, da paraíso à consolação, tanto arranha-céu, carro, buzina, passo torto e acelerado. Mas,

Domingo… ahhh domingo na paulista é barulhinho bom! Criança correndo, skate na pista, bexiga ao vento, é a possibilidade de olhar nos olhos das pessoas, sem pressa. Quisemos experimentar os encontros que um dia ensolarado propicia, ocupamos um cantinho dessa grande avenida e ficamos esperando as pessoas chegarem…

Ficamos esperando durante uma hora e ninguém chegou, decidimos mudar de lugar. Atravessamos as paralelas e rumamos à Augusta, a esquina da Paulista com a Augusta é repleta de artistas, lindos artesanatos são vendidos nessa quadra tão famosa. Chegando na calçada, avistamos que não havia mais espaço para estendemos nosso pano. Sentamos próximos aos artistas da rua e ficamos observando o movimento. Foi quando Mathias, artesão do Pará, nos chamou para chegar junto, abriram a roda e nos adentramos. Esticamos o pano e repousamos nossos livros e cadernos. Nesse momento, pessoas começaram a se aproximar, ficavam curiosas com as cores, olhavam e seguiam sua caminhada. Ficamos de olho no jeito em que Mathias abordava as pessoas, existia um chamado, a tentativa de ser notado em meio a tanta gente. Distribuímos cartões, vendemos um livro Costurando Contos e um pequenino, trocamos olhares e palavras com os caminhantes. E as dúvidas que pairam são: Como costurar histórias com desconhecidos? Como começar um causo? Qual nossos versos e vozes?

De uma coisa desconfiamos, as histórias acontecem somente na presença e na escuta. O :mínimo diário; fluirá pelas ruas de SP, ávido para ouvir, partilhar e contar contos.


Livro Costurando contos narrados a frente, e zine Meu Chão ao fundo.
Um pouco de nosso trabalho gráfico: Costurando Contos Narrados e Meu Chão

É isso. Em breve, mais textos e processos.

Ah, se você se interessa pelo nosso trabalho e não sabe como comprar, é só nos enviar um e-mail para oi@minimodiario.com.br e explicamos tudinho. Também pode enviar um inbox na nossa página. Entregamos por correio ou pessoalmente em São Paulo/SP

#InventeUmMeio

One Reply to “Vendas na Paulista: 2016 e os livros”

Deixe uma resposta